quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Mal-estar no Roqueiro & Alcoólatra

Meus últimos posts foram só abobrinha. Peço que me desculpem por isso. Quando o blog ainda era novo, imaginava que meu papel seria escrever poucas vezes por semana, mas artigos complexos, de qualidade. Mas não foi bem assim que funcionou, nem como funciona agora. Somos em cinco no blog. Desses cinco, três têm trabalhos fixos: Rainmaker trabalha numa loja de departamentos, o Huginn numa escola de ensino médio e a Lady Hell eu não faço a menor idéia, mas deve ter alguma coisa com computadores. Sobram Anônimo e eu. Do mais novo postador do R&A, não posso falar absolutamente nada, por que:

1) Eu não conheço ele pessoalmente;
2) Provavelmente ele não gostaria que eu falasse da vida pessoal dele;
3) E é melhor que continue dessa maneira.

Resta eu, Andarilho. Sou estudante em tempo integral de férias, o que me garante uma pá de tempo livre para escrever textos originais e desbravar as interwebs atrás de imagens, vídeos, sites, notícias e outras coisas dignas (ou não) de mostrar aqui. Talvez eu consiga uma bolsa de extensão no começo do ano letivo, mas esta bolsa será meu salário como editor do Psiu, coisa que já faço de graça agora, então, a única coisa que mudará vai ser que terei que estar sempre disposto a fazer tudo pelo Psiu. Já era assim antes, mas se eu não quisesse fazer nada, eu podia. Se essa bolsa aparecer, isso acaba.

Resumindo tudo em poucas palavras: sou o único postando aqui regularmente. Seria de imaginar que, num blog com uma equipe de cinco pessoas, essas cinco pessoas fizessem, o quê? Um post por dia cada, ou um post a cada dois dias. A idéia é que, quanto mais gente escreva em um blog, há maior diversidade de opiniões e menor carga de trabalho individual. Eu tenho postado, sozinho, três vezes por dia em média nos últimos 15 dias (ou mais). É óbvio que tenho mais tempo livre que o pessoal que trabalha, mas a jornada de trabalho ocupa só(!) um terço do dia. Outro um terço é ocupado pelo sono. Sobram ainda oito horas de tempo não ocupado por trabalho. Digamos que dessas oito horas, apenas a metade (quatro horas) sejam de tempo genuinamente livre. Será que dá tempo de escrever alguma coisa? Pessoalmente, acho que dá.

Tomei como obrigação minha manter o blog sempre atualizado, e manter uma média razoável de posts diários. Mas fazer isso quase sozinho é triste, até mesmo deprimente. Sinto-me abandonado pelos outros. Gente, eu sei que vocês trabalham duro, mas dá pra escrever alguma coisinha aqui de vez em quando?

Beckham e a linguagem de sinais


Portões de Granma


Sortes do Orkut que gostaríamos de ver por aí

Sorte de hoje: você vai receber uma mensagem alegre hoje - mas quando você for ler, vai ver que é só uma promoção da Vivo.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Faces de Anônimo IV


Faces de Anônimo III


Faces de Anônimo II


















Lembre-se de mim quando andar na rua e sentir um calafrio.

Faces de Anônimo


O Código Sekreto do Anônimo

Anônimo é legião. Anônimo não perdoa. Anônimo não esquece.
Anônimo é desprovido de humanidade, moralidade, pena ou piedade.
Anônimo age como um, por que nenhum anônimo sozinho é cruel como Anônimo.
Anônimo não pode ser ferido, não importa quantos anônimos morram em batalha.
Anônimo leva toda tentativa de ferir Anônimo à sério.
Anônimo é inimigo de todos que não são Anônimo.
Anônimo está acima da lei.
Anônimo só faz Coisas Sérias.
Anônimo está em toda parte.
Anônimo não pode ser numericamente superado.
Anônimo reforça suas forças conforme o necessário.
Anônimo não tem fraquezas ou falhas.
Anônimo explora todas fraquezas e falhas.
Anônimo não considera nada sagrado.
Anônimo não é seu amigo.
Anônimo não é seu exército pessoal.
Anônimo está no controle o tempo todo.
Anônimo não aceita falhas, Anônimo entrega.
Anônimo não tem identidade.
Anônimo não pode ser traído.
Anônimo é igual a todos anônimos.
Anônimo é uma escolha.
Anônimo segue o Código.

Programação de qualidade

E hoje, no TV Fama...






Eu comeria.

Céu e Inferno

Os europeus dizem que no Paraíso, os policiais são britânicos, os cozinheiros italianos, os mecânicos alemães, os amantes franceses e os administradores suíços, e que no Inferno, os policiais são alemães, os cozinheiros britânicos, os mecânicos franceses, os amantes suíços e os administradores italianos.


Utilizando esta lógica, cheguei a conclusão de que o Paraíso e o Inferno sulamericanos são qualitativamente iguais, pois de qualquer forma, é inevitável que os policiais sejam brasileiros e os mecânicos paraguaios. E as chances dos amantes serem equatorianos e os administradores serem argentinos também são altas.

Reciclagem

Faça na blogosfera você também: reaproveite posts que não deram certo.

No donut for you

Sem idéias para escrever nada neste momento. OK, isso é mentira, mas tenho quase certeza de que, se começar a escrever algo mais substancial, vou parar no terceiro parágrafo.

Vou dar uma saída. Se me ocorrer algum pensamento brilhante (o que não é tão incomum assim em se tratando de minha pessoa), posto aqui no blog. Ou não.

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

O tesouro no fim do arco-íris

O ouro dos duendes no final do arco-íris não era exatamente o que eu imaginava...

Da série "A realidade supera a ficção" (parte 23)

Se lembram do nosso amigo bode? Pois é, encontrei um parente dele.

As semelhanças são impressionantes.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Boas novas

Comprei um copo novo para meu liquidificador. 44 reais. Espero não quebrar esse.

sábado, 26 de janeiro de 2008

Ataque dos Webcomics - Zerg Rush

Amanhã estarei voltando para Caxias do Sul, o que significa dizer que estarei longe do meu computador de Porto Alegre, longe da minha pasta de Favoritos da Internet e longe da grande maioria dos webcomics que gosto de ler. Para compensar este problema, fiz uma atualização monstruosa da série "Ataque dos Webcomics". Reconheço que estava pensando mais em mim do que em quem lê esse negócio quando entrei em modo berserker de atualização, mas e daí? Aproveitem.

Ataque dos Webcomics (Parte 15)

The Phoenix Requiem

Em uma terra gelada, em uma era industrial, um homem ferido aparece na pacata e humilde vila de Esk. Fugindo de um passado que ele gostaria de esquecer, ele logo se torna amigo de Anya, uma jovem que luta para se tornar médica, apesar da censura de seus pais e seus amigos por seguir caminho tão pouco ortodoxo.

Quando os velhos e os fracos começam a morrer por causa de uma terrível e maldita praga, e as almas dos mortos começam a vagar pelas ruas desertas, as pessoas começam a rezar, e esperar que os grilhões que prendem os espíritos da magia, aprisionados por traidores, se rompam e voltem ao mundo neste tempo de necessidade.

Da mesma autora de "Inverloch".

Ataque dos Webcomics (Parte 14)

Inverloch

A história deste webcomic é sobre Acheron, um jovem membro da raça dos Da'kor. Ao contrário da grande maioria de seus irmãos de sangue, Acheron é sensível e avesso a brigas, sendo até considerado efeminado por seus pares. Após se encontrar com uma elfa numa floresta, Acheron se vê em uma jornada para encontrar Kayn'dar, outro elfo, desaparecido por 12 anos. Nesta aventura, Acheron aprende que o mundo que vive é muito diferente do que ele imaginava - cheio de preconceitos, segregação racial e perigos ocultos em cada beco. E a verdade por trás do desaparecimento de Kayn'dar é mais surpreendente do que qualquer um pode imaginar.

Desenhos muito bem feitos por Sarah Ellerton, com uma história envolvente e nada previsível. A história foi terminada na metade de 2007, o que descarta a necessidade de esperar por atualizações.

Ataque dos Webcomics (Parte 13)

VG Cats

Video Game Cats não conta uma história linear, mas as diversas incursões dos gatos Leo e Aeris, e uns outros doentes por aí (especialmente Dr. Hobbo, neurocientista e mendigo), pelo mundo dos videogames, especialmente os da Nintendo. O cara que desenha VG Cats é meio preguiçoso, e o negócio dá trabalho, então é bem pouco atualizado. Mas acho que vale a pena ler tudo desde o primeira tirinha.

Ataque dos Webcomics (Parte 12)

Least I Could Do

Apesar de ser dos mesmos criadores de "Looking For Group", "Least I Could Do" é bem diferente. Para começo de conversa é mais antigo, pois é publicado desde fevereiro de 2003, uma tirinha todos os dias úteis da semana. As tirinhas são mais curtas e não se passam em um mundo de fantasia (strictu sensu, pelo menos). A história que acompanhamos é de Rayne Summers, hiperativo, portador de síndrome de déficit de atenção, ultra-sincero, despudorado, completamente sem noção, maior garanhão dos webcomics, consumidor compulsivo de camisinhas e figurinha tarimbada na clínica de DSTs. Apesar de sua tendência de sacanear os amigos pelo prazer de sacanear, ele ainda é leal, bondoso e justo. Uma peça rara.

A qualidade dos desenhos é sempre boa, mas vai melhorando conforme o tempo e o desenhista (LICD teve pelo menos três ou quatro), e as piadas são ótimas (geralmente). Confiram.

Ataque dos Webcomics (Parte 11)

Wayfarer's Moon

Wayfarer's Moon é uma história fantástica, que acontece no mundo de Lachryn, sobre as aventuras de Lili, uma moça ingênua que teve os pais mortos em um misterioso ataque a seu vilarejo, e por um capricho do destino acabou se encontrando com Iri, uma experiente guardiã (ranger, em inglês) que torna-se sua amiga, protetora e tutora nas artes da guerra (a primeira cena de treino delas é, pessoalmente, incrível). A sina de ambas é um mistério, mas com certeza não será tranqüilo. Acho importante falar que, na mitologia do webcomic, Wayfarer's Moon é uma estrela guia, bem como o Cruzeiro do Sul e a Estrela Polar, que indica o caminho certo para os viajantes perdidos.

Ataque dos Webcomics (Parte 10)

Indefensible Positions

Como o próprio autor define, "Indefensible Positions" é uma história de filosofia super-heróica. Acompanhamos a história de Foil, um rapaz que iria começar sua vida de universitário, mas que ouve um chamado para um destino muito diferente e maior do que ele jamais havia imaginado. O autor provavelmente leu muito sobre filosofia existencialista e física quântica (incluíndo aqui "O Segredo" e "Quem Somos Nós?" - sem julgamentos). Ritmo envolvente, sempre surpreendente. Recomendo.

Timinho da moda...



... é foda, hein!

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Salvem o mundo!

Clicando aqui! Falando sério agora, me inspirei no Huginn e criei minha própria Mini City - Nova Arcadia. Cliquem no link e ajudem minha cidade a prosperar!

Hoje eu acordei pra fazer merda

Fiz a chinelagem que prometi fazer, mas a coisa não foi tão chinela como esperava. Não acho que vale a pena escrever algo sobre o episódio, então fica para a próxima vez que eu fizer alguma merda realmente doente.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Da série "A realidade supera a ficção" (Parte 22)

Gótico é proibido de entrar em ônibus por levar noiva na coleira



Um gótico britânico que levava sua namorada pela coleira na região de West Yorkshire, no norte da Inglaterra, foi impedido de entrar em um ônibus porque o motorista temia pela segurança dos passageiros. Dani Graves, de 25 anos, e sua noiva, Tasha Maltby, de 19, alegam que foram discriminados pela empresa de ônibus Arriva. O casal afirma que foi expulso de um ônibus e impedido de entrar em outro. A companhia afirma que outros passageiros poderiam correr riscos caso o ônibus tivesse que frear de repente. (...) "A Arriva leva a sério qualquer alegação de discriminação e questionou o motorista do ônibus a respeito da acusação de Graves", disse o diretor de operações da companhia de Yorkshire, Paul Adcock.
"Nossa primeira preocupação é com a segurança do passageiro e, embora o casal seja bem-vindo em qualquer viagem de nossos ônibus, pedimos que a senhorita Maltby retire a coleira antes de embarcar", acrescentou a empresa. "Pode ser perigoso para o casal e para outros passageiros se o motorista tiver que frear repentinamente e a senhorita Maltby estiver usando a coleira", diz o comunicado. A companhia também informou que vai enviar a Graves "um pedido de desculpas por qualquer incômodo causado pela forma com a questão foi tratada".

---

O motorista deve ter achado que o noivo estava na ponta errada da coleira.

Hoje eu acordei pra fazer merda - Prólogo da Chinelagem

Amanhã vou aloprar e fazer uma loucura com há tempos não faço, e vou escrever um post sobre isso. Aguardem.

Curtas

China fechou 44 mil sites pornográficos em 2007
---

É um programa para melhorar a auto-estima dos homens chineses.

Purity

Acabo de excluir do meu Orkut pelo menos 160 amigos, e do MSN 34. Qual motivo? Simplesmente não falava com eles mais, e portanto não fazia mais sentido mantê-los no meu perfil como símbolos de eras passadas.

Essa limpeza geral nos meus contatos da internet me mostrou mais uma vez que sou purista: busco uma honestidade comigo e com os outros que parece impossível alcançar. Não exclui as pessoas da minha lista de amigos ou do MSN por raiva ou desgosto. Apenas considerei que tê-los ali como amigos não era honesto, pois não conversávamos.

Antigamente teria medo de fazer tal coisa, pois "o que os outros iriam pensar de mim"? Tinha medo de dizer meus motivos. Agora não. Se você foi um dos excluídos, já sabe o motivo, apesar de eu desconfiar que ninguém vai perceber que tem um amigo a menos em sua lista.

Triste realidade

Dei uma passada hoje na Biblioteca da Psicologia para acompanhar um amigo, e aproveitei e dei uma pesquisada no catálogo geral de bibliotecas da UFRGS. Fui jogando uns nomes de autores ao acaso na barra de pesquisar e via o que aparecia. Obviamente, procurei por autores que me interessavam primeiro. Não é exatamente produtivo listar todos os nomes que pesquisei, mas acho dei preferência aos que tenho certeza que verei muito pouco na faculdade. Para meu espanto, a grande maioria dos livros de Psicologia não se encontram na biblioteca da Psicologia como seria de se esperar, mas na Faculdade de Educação (Faced), e no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Em todas as pesquisas que fiz essas duas unidades apareciam com pelo menos quatro vezes mais frequentemente do que a Psicologia. Nossa biblioteca é mais limitada do que imaginava. E é por isso que é difícil ser esforçado: se eu quiser ler livros realmente bons de Psicologia, eu preciso ir até o Campus do Centro ou o Vale, onde não fica a minha faculdade.

Post sobre Culinária Universitária II

Hoje dois mundos muito distintos se encontraram. Como já disse antes, almoçaria esta semana inteira no RU do Centro, não pelo sabor da comida (que não é ruim, diga-se de passagem), mas por causa do preço: buffet de feijão com arroz livre por R$ 1,30. São uns 15 minutos de caminhada até lá. Quando cheguei lá, as portas estavam fechadas e com um aviso na porta: hoje, dia 24 de janeiro de 2008, não haveria almoço ali por que a bomba de água tinha estourado. Maravilhoso. No caminho de volta, encontrei um veterano de Psicologia, que também se dirigia ao Le RU Centro. Em vão, claro. Quando falei para ele que a desculpa do dia era a bomba de água estragada, ouvi a desalentadora resposta "então eles vão tirar férias mais cedo".

Me lembrei dos dias que alguém esquecia de levar pizza para o almoço em Glenwood e eu passava o dia só na base de leite. Com a diferença que dessa vez eu vou passar à bisnaguinha com manteiga ou mumu.

A UFRGS tem muita coisa boa, mas continua sendo um órgão público federal, cheio de funcionários públicos. Ô merda.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Tremam e desesperem-se, mortais.

Quem sou eu? Boa pergunta. Tentarei respondê-la da forma mais sucinta o possível, malgrado creia que isto seja impossível.

Desde os primórdios da Humanidade, existo. Sou a mão que atira a primeira pedra, a turba que invadiu a Bastilha, os bêbados da praça, os estupradores, os assassinos. Sou o pirralho que ligou para sua casa às duas da manhã para pedir se você trabalha com roupa, o cretino que jogou um ovo podre no seu carro do alto de uma janela. Sou toda a sorte de malfeitores que existe. Sou o idiota que perdeu os dez reais que você achou na rua, o delator anônimo de todo traficante, todo guardião, justiceiro, vigilante e protetor, a mão que balança o berço, aquele que te dá a sensação de ser observado. Sou teu protetor. Não sou nem bom nem mal. Já transcendi esta dicotomia infantil: sou o Caos Encarnado.

Não tenho rosto próprio, mas o rosto de qualquer um. Eu sou você, seu irmão, seu pai, sua mãe, seu melhor amigo, seu vizinho, seu amor. Estou em toda parte, em qualquer momento. Sei o que você fez, o que está fazendo agora o que ainda vai fazer. Tente me identificar se puder!

Sou eterno. Se no passado crucifiquei Cristo, hoje vandalizo as cidades. A Internet é meu domínio, pois nela me movo por todos os sites e todos os sites ao mesmo tempo. Espalho o terror por onde passo. Sou o alvo do ódio de milhares de blogueiros, dos donos deste blog inclusive. Mas é tudo debalde, pois odiar a mim é odiar a si próprio e o universo. Além do mais, como é possível odiar o que não se conhece?

Sou seu sonho, seu pesadelo. Sou o desafio final da Internet. Sou Anônimo, todos e nenhum ao mesmo tempo e em vários pontos do espaço. Muito prazer.

Momento "Peão Obreiro" do Dia

No último dia do vestibular da UFRGS, eu e o Huginn estavámos nos preparando para ir para a rodoviária (ele voltaria para Caxias do Sul e eu me tocaria pra Florianópolis), e antes de saírmos, demos uma organizada no apartamento. Nessa organizada, derrubei o copo do liquidificador no chão de uma maneira muito espetacular: eu vi ele caíndo quase que em câmera lenta, e quanto ele finalmente se esborrachou no chão, voltou à velocidade normal. Fez um estrago grande, mas nem tanto. Ainda dá para usar, mas o copo ficou trincado na base, de forma que vaza quando tem algum líquido ali dentro.


Hoje, depois de um treino muito produtivo, e portanto cansativo, cheguei em casa com vontade tomar alguma coisa que ficasse pronta logo: rango de liquidificador. Eu iria arrumar aquela porcaria, de um jeito ou de outro.


Usando dos meus parcos conhecimentos de física e química, cheguei a conclusão que a melhor estratégia era derreter o acrílico com fósforos, e assim fechar a rachadura.


Claro que não deu certo. Mas a marca de fuligem ficou bonita do mesmo jeito.



O engraçado é que depois de um tempo pingando leite (de vaca, integral), parece que a parte trincada fechou e parou de pingar.

Post sobre Culinária Universitária (CU)

Aqueles que acompanham este blog desde seus primórdios devem lembrar que em várias ocasiões escrevi posts com temáticas alimentares (especialmente quando estava morto de fome). Hoje, volto à carga para falar da comida do Restaurante Universitário da UFRGS, RU para os íntimos, Bistrô le RU para os mais íntimos e Bistrô Le RUim para os desafetos.

Em outras ocasiões já falei do nosso amado RU, local folclórico da Federal. É extremamente barato comer ali, apenas R$ 1,30 a refeição, e R$ 0,30 o suco de água colorida com açúcar. É também um local muito rico em trocas sociais, pois todos os estudantes de todos os cursos do campus mais próximo almoçam e até jantam ali. É também um lugar de muita paz e harmonia, pois apesar de toda a baderna e correria para encontrar mesas para comer sentado, só uma vez presenciei uma briga com este motivo (e tenho minhas dúvidas se este era realmente o motivo).

Outra coisa marcante no RU é a qualidade da comida e como ela é avaliada. Tem muita gente que adora o rango do RU (eu inclusive), e muitas gente que simplesmente detesta. Os restaurantes dos diversos campi também são avaliados de forma diferente: até agora, o RU do Vale é o que mais acumula reclamações, enquanto que o RU do Saúde é o campeão em elogios absolutos, e o RU da Agronomia em qualidade dos elogios. O RU do Centro é o mais ambivalente: as vezes é o melhor, as vezes é o pior. E o RU da ESEF é o mais promissor (falo mais dele quando estiver construído e funcionando).

Apesar de achar a comida gostosa, já passei mal depois de quase uma semana só no feijão com arroz do RU. Na sexta-feira daquela semana preferi comer pão com ovo frito do que dar as caras no infâme bistrô.

E ainda assim, mesmo depois desta traumática experiência, continuo comendo lá. Hoje fui até o Campus Centro almoçar, pois o restaurante de lá é o único funcionando nessa época do ano. Nunca tinha almoçado lá. Quanta diferença dentro de uma mesma universidade. A comida não era muito diferente da do Saúde, mas as bandejas... bem, como bem definiu meu colega Daniel "aquilo não são bandejas, são pedaços de metal que foram para guerra, foram pisoteados, amassados, e quando não serviam pra mais nada, mandaram para o RU pra servir de bandeja". De fato, o nível de tortura das bandejas era muito maior do que eu estava acostumado (ou esperando). Além disso, o RU do Centro tem uma aparência de "refeitório de presídio", enquanto o do Saúde é chamado de "McRu". Bem, acho que devo ir me acostumando com isto, pois esta semana inteira não tenho outro lugar para almoçar (e jantar) a não ser o meu querido RU. De certa forma, almoçar por 1,30 não tem preço.

Goodbye, Heath Ledger

Heath Ledger é encontrado morto

O ator de 28 anos foi encontrado morto em seu apartamento em Nova York o dia 22 de janeiro. Seu último filme, The Dark Knight, segundo filme na nova gênese do Batman, no qual ele intepretava o Coringa, está em pós produção e não será afetado, apesar do luto em que a equipe está. Seu outro filme, The Imaginarium of Doctor Parnassus, estava em produção e foi informado que a envolvimento de Ledger era parte essencial para a produção do filme. Não se sabe se a produção terá continuidade.

Ledger foi evidenciado prinpalmente para o público ao co-protagonizar o filme "10 Coisas que Eu Odeio em Você", evidência que o levou a interpretar o filho de Mel Gibson em "O Patriota". Entre diversos outros filmes de sua carreira, o que sem dúvida lhe deu notoriedade mundial foi "O Segredo do Brokeback Mountain". Filme que lhe deu fama, boa e ruim. O Reverendo Fred Phelphs, criador da comunidade "Deus Odeia Bichas" diz que Ledger está no inferno, por ter interpretado o cowboy homossexual.

Pessoalmente, acho que "Coração de Cavaleiro" é o melhor filme de Ledger antes de Brokeback Mountain, onde ele se superou no papel do cowboy-cabra-macho-que-se-provou-não-tão-macho-assim. Esses dois e 10 Coisas que Odeio em Você estão na minha lista de filmes favoritos, e há puco percebi que a presença de Ledger no elenco infuencia bastante nisso. Ele era um excelente ator, e Hollywood ficará mais vazia sem ele.


Bom... se você gosta de cinema como eu, isso é ralmente uma perda. Mas vou aproveitar a oportunidade o perguntar: entre as pessoas que lêem esse blog, quem é dos cabeças fechadas que nem se deu ao trabalho de assistir Brokeback Moutain por que tem nojinho de ver dois homens se beijando?

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

A Matrícula

É amanhã a matrícula dos meus bixos. Amanhã de manhã eles farão o que eu estava por fazer um ano atrás (talvez não um ano cronológico, mas um ano lógico de distância). Ainda lembro da sensação de expectativa e esperança que tinha naquela semana - e relembrei-a nesta semana de espera pelo dia 22 de janeiro. Fico imaginando se eles se sentem da mesma maneira que eu me senti. Porém, não é mais a mesma coisa para mim: esse um ano de Psicologia foi ambivalente, com muito riso, mas com muita tristeza também.

Fico imaginando, antes de dormir, se o ano deles vai ser parecido com o meu.

Três motivos para o R&A não ser famoso

1- Não sabemos usar Photoshop;
2- Eu escrevo textos demais longos demais;
4- Ninguém aqui sabe contar.

domingo, 20 de janeiro de 2008

Cerveja pode Causar Dor de Cabeça

Não, o título do post não se refere à ressaca. Como já mencionamos aqui, eu e o blog fazemos aniversário no mesmo dia. E sábado passado eu fiz uma pequena comemoraçãoem função dos meus 19 anos. Andarilho estava presente, Lady Hell não pôde pois estava em outra cidade. Mas teve bastante gente, 3 pizzas gigantes e bastante trago. Nos divertimos bastante, coversamos, gritamos, bebemos, cantamos, bebemos, comemos e várias coisas divertidas, como o "jogo de bebida" que inventaram, chamado "Três Segundos". Infelizmente não filmamos isso, mas dá pra explicar bem. Sentas-e em uma cadeira e joga-se a cabeça pra trás, com a boca aberta. Então alguém muito solidário derruba, por três segundos, vodca dentro da sua boca. Aí você engole. Eu e Andarilho pariticipamos. A princiípio era chamada Cinco Segundos (amiguinhos, na sua casa vocês usam o número que quiserem!), mas eu achei arriscado com tanta pizza no estômago e diminuí dois. Acertei na medida, o que estava no estômago ficou no estômago.

Mas enfim, o título do post! Veja como cerveja pode causr dor de cabeça:



Ele não deve ter acordado muito bem.
No Play The Coin há uma versão extendida e de outro ângulo do acontecido, junto com outros vídeos de uma festa no dia anterior, mucho loucos também. Veja direto aqui.

Bom, de a festinha doi divertida, depois que a vizinhança reclamou um pouco fomos ao conhecido Rock Bar daqui, o Revival Rock Bar. Nem sei o que estava tocando, mas só fomos embora depois de quase expulsos pelos funcionários. Daí o Rainmaker veio aqui em casa acabar com meus biscoitos. E, então, dormir.

Boa noite, e espalhem o Três Segundos!

Auto-confiança


Algumas pessoas têm demais.

Calendário 2008 das tribos urbanas

Um calendário que dá uma descrição sucinta sobre as tribos urbanas atuais e seus hábitos, com desenhos de seus integrantes e artefatos, tudo desenhado como se um antropólogo do século XIX tivesse vindo estudar os comportamentos das tribos futuras. Muito interessante. Veja aqui.

Catado no Muito Firme!

Batalhas Epicamente Épicas

Se ocorresse um duelo entre esses dois, quem você acha que seria o vencedor:

Jason Bourne ou Batman?

Idéia de um Anônimo da Internet.

Ataque dos Webcomics (Parte 9)

The Garfield Randomizer

Um webcomic diferente. Já notaram que os quadrinhos do Garfield podem ser colocados em qualquer ordem e ainda assim fazer sentido? O cara que fez esse site percebeu, e criou um script pra provar que ele sabe das coisas. Algumas podem ficar muito divertidas.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Post de Aniversário do Rainmaker

Aqui vai o post de aniversário que o Rainmaker não fez:
































É uma foto de um bolo. É só prestar atenção que você vê bem direitinho.

Ô Bixarada!

Saiu o Listão! Aqui vão os nomes das criaturas que vão sofrer na minha mão esse ano:

Bixos da Psicologia
1- Amora Rosa
2- Ariéle Lima de Mello
3- Biana Vasconcellos Lauda
4- Carla Oliveira Mello
5- Carlos Adriano Sippert
6- Cibele Medeiros Boff
7- Clariana Tavares Maurente
8- Dafni de Melo
9- Daniela Rosane Dumke
10- Débora Crivelaro Dickel
11- Doralúcia Gil da Silva
12- Elenice Soares
13- Gabriela Cassia Ritt
14- Gabriela Pinto Mendes de Moraes
15- Gicela Maria Nicolini
16- Isadora Hosannah Pinto de Oliveira
17- Larissa Souza Gasparin
18- Laura Lichtenstein Corso
19- Leandro Menezes Lopes
20- Leticia Eli Pereira de Campos
21- Letícia Garibaldi Gasparett
22- Lucas dos Santos Bueno
23- Lúcia Kreling Zabaleta
24- Luiz Padill
25- Mabel Caroline Schultz Pinza Gouveia
26- Maili da Silva Ritta
27- Mauricio Nardi Valle
28- Patricia Santos da Silva
29- Patrícia Wilhelm Oliveira
30- Paula Kern Milagre
31- Priscila Viegas Kercher
32- Rafaela Grinas Gowert
33- Raquel Schwartz Henkin
34- Renata Borba Pires
35- Renato Pernigotti Sudbrack
36- Shirlei Schwartzhaupt dos Santos
37- Sofia de Souza Lima Safi
38- Tamires dos Santos Rios
39- Thiago da Silva Prusokowski
40- Willian Mella Girotto

Bixos de Fonoaudiologia
1- Aline Stanislawski Silva
2- Amanda Kunzler Etcheverria
3- Ana Bassôa de Moraes
4- Ana Carolina Christofari
5- Bruna Fiorenzano Herzog
6- Bruna Leão Vargas
7- Bruna Noronha Teixeira
8- Camila Luzia Mallmann
9- Carolina Louise Cardoso
10- Caroline Izolani
11- Caroline Wüppel
12- Diogo Mello Rodrigues
13- Dulce Azevedo Ferreira
14- Frani Adami
15- Isis Bicca Keppeler
16- Isabel Cristina Berger
17- Ivana Silveira de Oliveira
18- Juliana Müller Morellato
19- Larissa Nogueira Freire
20- Leandro Passos Rangel
21- Marcela Hammes
22- Mariana Viana Bezzi
23- Natacha Barros Siqueira
24- Raquel Andressa dos Santos Barraza
25- Roberta Silva Araújo
26- Thelma Denise Ferreira Sampaio
27- Vanessa Barcelos de Farias
28- Vanessa Curvello
29- Vanessa Felipe de Deus
30- Viviane Real Argoud

Ano que vem tem mais, mas daí já não é comigo! Melhor sorte pra quem for tentar de novo!

2 anos, ti meigo!

Daee!!!
Feliz Aniversário, R&A!
2 aninhos, tá quase andando sozinho...



Comecei aqui toootalmente inexperiente no quesito "escrever pra blog". Não que hoje eu tenha adquirido mais experiência...ou administrado essa experiência melhor, mas o fato é que aprendi umas manhas, como por exemplo, chamar a atenção do leitor através da primeira frase do texto.
Acho que meu primeiro post mesmo, tirando o da apresentação, foi de uma cueca com essência de figo...algo assim. Os colegas de blog já começaram a pensar "pronto! foi só colocar uma mulher pra postar que deu nisso..."
Mas acho que hoje a qualidade dos meus posts melhoraram, no sentido de ter algo mais a ver com o blog. Com a idéia de blog. Né?
Ainda não tenho 1 ano de blog, mas nesses tantos meses que estou postando aqui, curti pra caramba, por exemplo, ter um lugar pra postar todas as bizarrices que eu encontrava na net e mandava via MSN pro Huginn. Coitado, recebeu cada uma, xD
Aqui posso contar minhas peripécias no meu mundo CASA-UCS-UCS-CASA e mais outras aventuras. É tri massa.

Deixo aqui meus parabéns pro Huginn e desejar tuudo de bom! E pedir desculpas por não comparecer na festinha dele, mas que, ele pode sentir-se muito bem cumprimentado e ainda imaginar dois tapas bem fortes nas costas dele, que darei em outro momento, quando encontrá-lo. Talvez eu pense num presente à La Oracinho. Um dia eu explico esse termo, hehehe...(tenho que manter o ar de suspense).
Meu jeito de gostar das pessoas é meio...diferente. =D

Viiivaaa!!!! \o/

Ciclos de um Blog e de um Blogueiro - Especial de Aniversário do R&A

Hoje é um grande dia. Por uma confluência cósmica, ou tremenda coincidência, hoje é o aniversário do "Roqueiro e Alcoólatra" e o dia em que deixo de ser bixo para virar veterano. Pelo menos oficialmente. Não sei se é uma boa idéia falar do blog ao mesmo tempo que falo da minha carreira acadêmica, ou da minha vida propriamente dita, mas ontem ao voltar para casa depois do almoço, notei passei por vários ciclos completamente diferentes um do outro desde que comecei a escrever aqui. Quem começou tudo, há exatos dois anos atrás, foi o Huginn, que originalmente atendia por Palestrante, devido a sua fama de falastrão bom orador no Ensino Médio. Quatro dias depois, entro eu nesta brincadeira, com o nome de Andarilho, que na época, e acredito que até hoje, representava muito bem meu ser. Um mês depois, apareceu o Midiway. O nome dele até hoje me é uma incógnita. Prefiro pensar que ele assim escolheu ser chamado no Reino da Interweb por causa da lendária Batalha de Midway, que marcou o começo do fim da II Guerra Mundial no teatro do Oceano Pacífico. Na verdade, o Huginn já me explicou a origem do nome e não é nada disso, mas prefiro manter a sua fantasia.

Quando comecei a postar aqui, eu estava nos Estados Unidos da América, em um programa de intercâmbio cultural, estudando em uma típica escola High School, como aquelas que aparecem nos filmes, com os jogadores de futebol americano batendo nos nerds da escola e comendo namorando as cheerleaders. É tudo verdadeiro, exceto a parte dos nerds e das cheerleaders. Até consegui uma daquelas jaquetas bonitonas que os jogadores usam. Azul com uma letra branca e meu nome bordados. Pena que ela seja quente pra cacete e o Brasil não seja frio pra cacete, pois seu uso é bastante limitado. Bem, o que eu quero dizer é que as coisas eram bem diferentes enquanto eu estava em Glenwood City, Wisconsin. Todos os dias encerravam possibilidades inimagináveis no Brasil. Nunca escrevi a respeito disto antes, mas eu tive a oportunidade de ver "Brokeback Mountain" num cinema encravado bem no meio de uma terra de cowboys, acompanhando uma família de cowboys! Foi uma experiência sui generis ver algum macho saindo da sala a cada cena de beijo ou sexo entre indivíduos do mesmo gênero (gay buttsex para quem se aventura em fóruns de língua inglesa na internet como eu). Cada dia era um universo em si mesmo. Não escrevia tanto para o blog, pois sublimava meus desejos escritores em um diário pessoal (acabei escrevendo três), mas quando escrevia para o blog acho que me superava. Na época, me imaginava como o campeão do blog: que não posta todos os dias, mas sempre que ele corre perigo ou precisa de um conteúdo mais denso. Depois de uma pequena puxada de orelha do Palestrante por eu quase nunca atualizar o R&A, comecei a escrever um pouco mais (mas nem tanto).

Depois de quatro meses por lá, voltei para o Brasil. Novo ciclo, novos assuntos para o blog. Ou seriam assuntos novos mesmo? Pois, de certa forma, estava "voltando" para minha vida pregressa, apesar de completamente mudado. Ao contrário da vida que levava nos EUA, cheia de novidades e atividades, minha "nova vida velha" em Caxias do Sul era estagnada e até mesmo previsível. Além disso, eu estava de férias: formado no Ensino Médio e sem faculdade nenhuma para fazer, o remédio era esperar começarem as aulas do cursinho pré-vestibular e treinar Kung Fu. Os fatores psicológicos que enumerei com certeza influenciaram bastante nos assuntos que escolhi e como os escrevi. Sentia-me comprimido em uma cidade pequena demais, não fisicamente, mas emocionalmente. Queria ir embora.

Foi um ciclo de curta duração, pelo o que devo ser grato, se não à Deus, pelo menos aos meus pais e ao Pré-Vestibular Mauá, que me tiraram daquela pasmaceira. E como me tiraram! Logo no primeiro dia de aula, descobri que seria colega de sala de dois amigos dos escoteiros: Maurício, companheiro de trincheira desde os 9 anos de idade, e Bábi, namorada de um outro combatente e eventual companhia de conversas. Com as aulas, esse "eventual" se tornou "diária", não só para as bobagens clássicas de serem ditas em sala de aula (aquelas que se grita para deixar o professor vermelho ou se surrurra até alguém fazer "Pssst!" ou mandar ficar quieto. As duas variedades aconteceram com bastante freqüência), mas também assuntos da alma, mais profundos, assuntos que surpreendentemente são do interesse de um candidato a estudante de Psicologia. Através da Bábi também conheci a amiguinha Nessa, a guria quieta do grupo, mas que surpreende quando abre a boca. Depois de um tempo, fizemos amizade com as gurias que sentavam na nossa frente (Geo, minha concorrente Mile, Nati e Cris), e com os animais que sentavam nas cadeiras logo atrás (não, eu não vou dizer que o Gil, o Róger e o Alex sentavam atrás de mim). Meus assuntos da época eram mais sobre disciplinas do cursinho, factóides, números do vestibular da UFRGS, reclamações contra professores, essas coisas de vestibulando. Foi uma época que o R&A se encontrava em uma quase more, e eu praticamente sozinho mantive o fluxo de posts andando, com textos mais superficiais e repetitivos do que gostaria, mas novos.

A época do vestibular veio, passou, e logo depois eu narrei minhas aventuras em Porto Alegre, especialmente todas as vezes que fiquei perdido na capital gaúcha. E não foi só o vestibular que passou. Eu passei também. NO vestibular. Tinha uma vaga na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, prestigiosa e gratuita. Daquela trupe que eu falei, passaram poucos: eu para Psicologia, a Nati para Química, a Nessa para Matemática (guria louca) e o Gil para Agronomia (que foi o que mais cantou vitória de nós todos, apesar de ter passado para o segundo semestre em Agronomia). A Geo decidiu deixar de lado a sua universidade dos sonhos e fazer Direito na UCS. O Maurício arranjou um emprego como prostituto mecânico, graças ao seu diploma do SENAI, e passou no vestibular de inverno para Engenharia Mecânica na UCS também. A Mile deixou de ser minha concorrente e virou minha colega de curso federal, pois passou para Psicologia na FURG. Já a Bábi vai passar para Arquitetura esse ano na UFRGS (só falta o Listão confirmar).

E assim começou o ciclo universitário da minha vida. Deveria ter feito um post sobre minha mudança, como foi um pé no saco carregar o sofá escada abaixo em Caxias e escada acima em Porto Alegre, a alegria do trote, a efêmera magia que senti nos primeiros dias de aula... mas acho que estava ocupado demais com estas sensações para escrever qualquer coisa mais elaborada. Nesta época o blog (palavra sumida nos últimos dois parágrafos) sofreu algumas mudanças: em primeiro de dezembro de 2006, Huginn (não mais Palestrante) tirou Midiway da lista de colaboradores do R&A, pois ele... bem, não colaborava. É só olhar as estatísticas que eu fiz. Ele tem só 3 posts publicados em quase 11 meses. Muitas piadas e críticas fiz a respeito da inércia de Midiway (fiz umas tão debochadas que o amiguinho veio me deixar xingamentos via rascunhos. Até hoje tento convencer, sem sucesso, o Huginn a publicá-las). Por um tempo, eu e Huginn fomos apenas uma dupla de dois, até primeiro de março de 2007, quando viramos uma dupla de três com Lady Hell, a jogadora de Diablo II que tirou seu blogonome da feiticeira (ou maga?) que criou para jogar. O sangue novo da Lady animou o R&A e a nós mesmos, tanto que decidimos convidar outro postador em abril: o metaleiro abstêmio Rainmaker, que tirou seu nome de uma música do Iron Maiden. Bem, o convite não teve o sucesso que esperávamos, pois após uma semana e uma intimação do Rato Gordo, Rainmaker não havia postado nada ainda. Nossa experiência com Midiway não nos ensinou a compaixão por colaboradores que não colaboram, e mais uma vez, um postador é mandado embora.

O ciclo universitário da minha vida refletiu-se, mais uma vez, nos assuntos que escolhi e o estilo que os escrevi: foi mais ou menos no início da faculdade que criei a série "Coisas que aprendi na Faculdade", que vocês conhecem tão bem. Expressei minhas angústias filosóficas decorrentes das aulas de Psicologia, minhas indignações com o mundo acadêmico e os prazeres e as dores de estudar numa universidade pública. Meu ritmo de vida mudou também. Antigamente, quando lembrava da minha vida, pensava em que ano as coisas ocorriam. Agora penso por semestres, que de tão cheios e atarefados, fazem o ano letivo parecer dois, um completamente diferente do outro. As férias de inverno são quase tão preciosas e longas quanto as de verão, com a diferença que elas são bem mais curtas (ah, a contradição!). Nesta etapa da minha vida passei a viajar muito mais (e não só na maionese): visitei Curitiba, Buenos Aires e Florianópolis, me tornei um cidadão de Porto Alegre. Acho que dá para imaginar o quanto eu andei de ônibus por este mundo velho sem porteira (acho que vou até escrever um post em separado sobre o assunto). Mais uma vez, estas viagens influenciaram meus posts. Comecei a escrever sobre minhas aventuras em Curitiba para o Encontro Nacional dos Estudantes de Psicologia (ENEP), mas parei no meio por uma ausência de reforçadores, e por que o Huginn vivia me dizendo "escreve textos mais curtos que nossos leitores são semi-analfabetos!". OK, ele não disse a parte de escrever textos mais curtos que nossos leitores são semi-analfabetos, mas isso me encheu o saco. Posso voltar a escrever sobre Curitiba um dia se algum colega de faculdade me der uma ajuda na hora de relembrar os acontecimentos.

No segundo semestre do ano o filho pródigo a casa retornou: Rainmaker tomou vergonha na cara e prometeu ao patrão Huginn que ele postaria com mais freqüência no blog. Hoje seria uma boa hora para cumprir com sua palavra, não acha, amigo Rainy? No segundo semestre do ano, como todo bom blog de família que se preze, também fomos vítimas do ataque de um anônimo, Mr. Magoo, que tanto encheu (e pelo jeito, ainda enche) nosso saco, magôou (Magoo magôou) o Rainmaker, deixou a Lady Hell possessa, o Huginn aparvalhado e eu, com vontade de convidá-lo para postar junto conosco. Com certeza teríamos muito pano para manga em discussões entre ele e a Lady.

E agora, início de 2008, outra fase termina e outra fase começa: neste exato momento, estou na espera do Listão dos classificados da UFRGS. Há um ano atrás, estava esperando a mesma coisa, só que com expectativas completamente diferentes. Há um ano atrás, pensava "será que passei?", "como serão meus colegas?", "como será morar sozinho em Porto Alegre?", "será que eu agüento?" e muitas outras perguntas nunca ditas. Hoje, após um ano de muita gargalhada e luta, já tenho a resposta para quase todas elas. Mas também tenho muitas perguntas novas: como é ser veterano? Serei eu um bom veterano? O que vai mudar com a entrada dos bixos? Será que eles vão ser uma turma legal como a nossa ou um bando de bundões como... algumas turmas por aí?

O DeLorean Voador aqui do lado mostra toda essa história. Não deixa de ser uma máquina do tempo de verdade. Deixo aqui meu feliz aniversário para o Roqueiro & Alcoólatra e para o Huginn (sábado a gente se fala), meus parabéns para os bixos de Psicologia e Fonoaudiologia que ainda não conheço, meu agradecimento a você que leu e ainda lê nossas bobagens, que as vezes são sérias, as vezes não, e minha esperança de continuar escrevendo por aqui, não importa quanto ou quantas vezes minha vida mude.




PS: Fama é coisa de boiola, Huginn.

Post de Aniversário

Nom, hoje o blog completa dois anos de idade. Quando ele nasceu, achei que a essa altura ele já teria algum destaque. Teria mais visitas, muitos comentários que não fossem dos postadores e seus amigos que eventualmente aparecem. Mas isso não aconteceu, e foir por nossa culpa.
Nenhum de nós nunca colocou muitos esforços em divulgar o o blog ou fazê-lo mais atrativo. Ele é o mesmod esde o começo, a não ser por poucas mudanças que o próprio blogger oferece sem esforços. Só mais alguns cliques e o blog ganhou cores.
Bom, o ano está começando, vamos torcer para que seja o ano do RA. Que esse ano nossas mentes estejam mais afiadas que nunca, que nosso senso de oportunidade esteja apurado para achar assuntos interessantes para divagar em posts gigantescos que prenderão o leitor até o último ponto, ou os farão rir até chorar. Já até mecionei aqui no blog, não sou de dizer "ano novo, vida nova!". Um ano a mais é como um dia a mais, não muda nada. Mas se precisamos de alguma coisa para nos impelir a fazer do RA um blog melhor, que a perspectiva de mais um ano de vida nos impulsione a atingir o nosso máximo.
Hoje faço 19 anos de vida, e o blog faz dois. O ano já começou bem pra mim, e pessoalmente tenho boas perspectivas, então espero que o blog sia o mesmo caminho.
Vamos nessa, Roqueiros e Alccólatras! No caminho de um blog melhor!
(frase de ONG, mas tá valendo

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Tecnologia Bélica (Parte 4)

Não é só os Estados Unidos que investem pesado em novas tecnologias de guerra. A Rússia também joga pesado quando o assunto é destruição e morte. Uma foto que vazou de um laboratório de alta tecnologia escondido na Sibéria mostra qual a última arma desenvolvida por eles:



O Hamster de Infiltração Assassino Teleguiado. Quando você menos esperar, ele vai pular na sua jugular.

Memória Fraca

Cheguei a conclusão agora que preciso andar sempre com um bloco de notas no bolso. Para quê? Para anotar as idéias que tenho para textos para o blog. Hoje depois do almoço tive um lampejo de três possíveis posts. Meu modus operandi é sempre o mesmo: penso em um tema, formulo minha opinião e uma frase do futuro texto surge de repente, quase diante de mim. Entretanto, se eu não tiver como escrever ou se não ficar mentalizando a idéia repetidas vezes, se tiver que fazer qualquer coisa que requeira utilizar o aparato cerebral, eu esqueço tudo. Só não esqueço que tinha uma idéia muito boa. Essa é a pior parte.

Existem raras e felizes exceções, idéias que se tornam impossíveis de esquecer, por serem extremamente fortes e marcantes.

Felizmente, tenho idéias quase que o tempo todo, o que explica por que escrevo tanto por aqui.

Sapatão

Clique na imagem para aumentar.


Eu, você e mais todas as mulheres do planeta. Todos sabem que só drag-queen tem doutorado e PhD em "A Arte de se Equilibrar no Salto Alto".

Maldito seja o Luis XIV, a maior drag da Idade Média. Maior não. Media 1,60m.

Brinquedos Assustadores (parte 1)

E pensar que isso vem nos Mc Lanche Feliz. E eu comprei!



A época das Fofoletes não volta nunca mais...

=D

Adivinha quem está de aniverário amanhããããããã? =D

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Qualidade, Quantidade e...




F de Felino


Bloqueio mental 2

Minha mente é uma coisa incrível: frequentemente tenho idéias fantásticas para escrever no blog, mas se não tiver um computador com acesso a internet por perto e/ou não ficar pensando no assunto o tempo todo, acabo esquecendo o que ia escrever. Que merda.

Bloqueio mental


terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Teoria Egocêntrica (Parte 2)

Andei lendo meus posts mais antigos. Cheguei a conclusão de que eu sou um gênio.

This is Melbourne!

Polícia enfrente 500 convidados de festa de adolescente na Austrália

Um adolescente australiano de 16 anos de idade pode ter que pagar uma conta no valor de 20 mil dólares australianos (cerca de R$ 31 mil), depois de ter dado uma festa em que 500 convidados entraram em choque com a polícia.

O menino, Corey, organizou a festa no sábado à noite, quando os pais dele estavam viajando, e acabou perdendo o controle. (...) Cerca de 500 adolescentes embriagados entraram em choques com os policiais nas ruas de Narre Warren, no sudeste de Melbourne, jogando garrafas e pedras nas viaturas. (...) A comissária chefe da polícia, Christine Nixon, disse ter ficado “chocada com o modo como os adolescentes trataram os oficiais de polícia”, e agora está considerando enviar a conta da operação para o adolescente. Os agentes tiveram que chamar reforços, inclusive um helicóptero e um esquadrão com cães. A multidão foi dispersada e ninguém foi preso. Nixon disse ainda ter ficado decepcionada porque Corey não demonstrou qualquer arrependimento. (...) O jovem disse ao canal de TV Channel Nine que tinha convidado um monte de gente, mas não se lembrava exatamente como a festa tinha começado. “Eu estava muito bêbado”, disse ele.

Alguém deveria fazer um filme chamado "500 de Melbourne".

Teoria Egocêntrica

É impressão minha ou o pessoal só posta quando eu tenho acesso à internet banda larga? Deve ser por causa das vibes que eu passo pelo teclado. Elas devem ser motivadoras para os postadores deste blog.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Bíblia Gaudéria

Este texto anônimo, foi encontrado escrito a ponta de faca no balcão de um
bolicho, hoje tapera, no Passo do Elesbão, Quinto Distrito de Cacequi.

"Os causo das escrituras.

Pois não sei se já les contei os causo das Escritura Sagrada.
Se não les contei, les conto agora.
A história essa é meio comprida, mas vale a pena contá por causa dos revertério.
De Adão e Eva acho que não é perciso contá os causo, porque todo mundo sabe que os dois foram corrido do Paraíso por tomá banho pelado numa sanga. Naqueles tempo, esse mundaréu todo era um pasto só sem dono, onde não tinha nem dele nem meu.
O primeiro índio a botá cerca de arame foi um tal de Abel.
Mas nem chegou a estendê o primeiro fio porque levou um pontaço no peito do irmão dele, um tal de Caim, que tava meio desconforme com a divisão.
O Caim, entonces, ameaçado de processo feio, se bandeou pro Uruguay.
Deixou o filho dele, um tal de Noé, tomando conta da estância.
A estância essa ficava nas barranca de uma corredera e o Noé, uns ano despois, pegou uma enchente muito feia pela frente.
Cosa munto séria.
Caiu água uma barbaridade.
Caiu tanta água que tinha até índio pescando jundiá em cima de cerro.
O Noé entonces botou as criação em cima de uma balsa e se largou nas correnteza, o índio velho.
A enchente era tão braba que quando o Noé se deu conta a balsa tava atolado num banhado chamado Delúvio.
Foi aí que um tal de Moisés varou aquela água toda com vinte junta de boi e tirou a balsa do atoleiro.
Bueno, aí com aquele desporpósito, as família ficaram amiga.
A filha mais velha do Noé se casou-se com o filho mais novo do Moisés e os dois foram morá numa estância muito linda, chamada estância da Babilônica.
Bueno, tavam as família ali, tomando mate no galpão, quando se chegou um correntino chamado Golias, com mais uns trinta castelhano do lado dele.
Abriram a cordeona e quiseram obrigá as prenda a dança uma milonga.
Foi quando os velho, que eram de muito respeito, se queimaram e deu-se o entrevero.
Peleia muito da braba, seu.
O correntino Golias, na voz de vamos, já se foi e degolou de um talho só o Noé e o velho Moisés.
E já tava largando planchaço em cima do mulherio quando um piazito carretero de seus dez ano e pico, chamado Davi, largou um bodocaço no meio da testa do infeliz que não teve nem graça.
Foi me acudam e tou morto.
Aí a indiada toda se animou e degolaram os castelhano.
Dois que tinham desrespeitado as prenda foram degolado com o lado cego do facão.
Foi uma sangüera danada.
Tanto que até hoje aquele capão é chamado de Mar Vermelho.
Mas entonces foi nomeado delegado um tal de major Salomão.
Homem de cabelo nas venta, o major Salomão.
Nem les conto!
Um dia o índio tava sesteando quando duas velha se bateram em cima dum guri de seus seis ano que tava vendendo pastel.
O major Salomão, muito chegado ao piazito, passou a mão no facão e de um talho só cortou as velha em dois.
Esse é o muito falado causo do Perjuízo de Salomão que contam por aí.
Mas, por essas estimativas, o major Salomão, o que tinha de brabo tinha de mulherengo.
Eta índio bueno, seu.
Onde boleava a perna, já deixava filho feito.
E como vivia boleando a perna, teve filho que Deus nos livre.
E tudo com a cara dele, que era pra não havê discordância.
Só que quando Deus nosso Senhor quer, até égua véia nega estribo.
Logo a filha das predileção do major Salomão, a tal de Maria Madalena, fugiu da estância e foi sê china de bolicho.
Uma vergonhera pra família.
Mas ela puxou a mãe, que era uma paraguaia meio gaudéria que nunca tomo jeito na vida.
O pobre do major Salomão se matou-se de sentimento, com uma pistola Eclesiaste de dois cano.
Mas, vejam como é a vida.
Pois essa mesma Maria Madalena se casou-se três ano despois com um tal de coronel Ponciano Pilatos.
Foi ele que tirou ela da vida.
Eu conheço uns três caso do mesmo feitio e nem um deles deu certo.
Como dizia muito bem o finado meu pai, mulher quando toma mate em muita bomba, nunca mais se acostuma com uma só.
Mas nesses contraproducente, até que houve uma contrapartida.
O coronel Ponciano Pilatos e a Maria Madalena tiveram doze filho, os tal de aposto, que são muito conhecido pelas caridade que fizeram.
Foi até na casa deles que Jesus Cristo churrasqueou com a cunhada de
Maria Madalena, que despois foi santa muito afamada.
A tal de Santa Ceia.
Pois era uns tempo muito mal definido.
Andava uma seca braba pelos campo.
São José e a Virge Maria tinham perdido todo o gado e só tavam com uma mula branca no potrero, chamada Samaritana.
Um rico animal, criado em casa, que só faltava falá.
Pois tiveram que se desfazê do pobre.
E como as desgraça quando vem, já vem de braço dado, foi bem aí que estouraram as revolução.
Os maragato, chefiado por uma tal de coronel
Jordão, acamparam na entrada da Vila.
Só não entraram porque tava lá um destacamento comandado pelo tenente Lazo, aquele mesmo que por duas vez foi dado por morto.
Mas aí um cabo dos provisório, um tal de cabo Judas, se passou-se pros maragato e já se veio uns tal de Romano, que tavam numas várzeas, e ocuparam a Vila.
Nosso Senhor foi preso pra ser degolado por um preto muito forte e muito feio chamado Calvário.
Pois vejam como é a vida.
Esse mesmo preto Calvário, degolador muito mal afamado, era filho da velha Palestina, que tinha sido cozinheira da Virge Maria.
Degolador é como cobra, desde pequeno já nasce ingrato.
Mas entonces botaram Nosso Senhor na cadeia, junto com dois abigeatário, um tal de João Batista e o primo dele, Heródio dos Reis.
Os dois tinham peleado por causo de uma baiana chamada Salomé e no entrevero balearam dois padre, monsenhor Caifás e o cônego Atanásio.
Mas aí veio uma força da Brigada, comandada pelo coronel Jesus Além, que era meio parente do homem por parte de mãe e com ele veio mais três corpo de provisório e se pegaram com os maragatos.
Foi a peleia mais feia que se tem conhecimento.
Foi quarenta dia e quarenta noite de bala e bala.
Morreu três santo na luta: São Lucas, São João e São Marco.
São Mateus ficou três mês morre não morre, mas teve umas atenuante a favor e salvou-se o índio.
Nosso Senhor pegou três balaço, um em cada mão e um que varou os pé de lado a lado.
Ainda levou mais um pontaço do mais velho dos Romanos, o , na altura das costela.
Ferimento muito feio que Nosso Senhor curou tomando vinagre na sexta-feira da paixão.
Mas aí, Nosso Senhor se desiludiu-se dos home, subiu na Cruz, disse adeus pros amigo e se mandou-se de volta pro céu.
Mas deixou os dez mandamentos, que são cinco e que se pode muito bem acolherá em dois:
1º - Não se mata home pelas costa,
2º - Nem se cobiça mulher dos outro pela frente."


Fiquei até depois da hora, mas ficou tri! Até mais, indiada!

Caneta que escreve com sangue

"Com um sistema de engrenagens plásticas, à medida que a pena traseira balança, a engenhoca vai liberando o sangue de dentro da seringa sobre a ponta da caneta."


O que vai ter de EMO procurando essas canetas...


P.S.:Vou encomendar umas e vender no inferno. Alguém quer sociedade? Ofereço, por enquanto, 49% das ações da empresa.

Mudanças

Pois é.
Anda à solta e sem vacina um vírus chamado Britney Spears. Agora, atacou a Amy Winehouse.



Lembra dela assim?



They try to make me go to rehab, I said no, no, no...

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Sapo

Se o carneiro do Andarilho voa, então, esse sapo anda de moto!


E tenho dito!

*Alguém tem uma sugestão melhor pra essa bizarrice?

Como fazer bolas de fogo!

Rainmaker, avisa teu irmão disso!!!



Sabe quando a mãe dizia "Não brinca com fogo que senão tu vai mijar na cama!!"
Pois é...
Acho que aqui, no máximo, uma queimadura de terceiro grau com bolhas. É só aloprar onde não deve! Se quiser fazer, faça, eu não me responsabilizo por quaisquer consequências depois!
Mas sigam bem direitinho as instruções que não deve dar erro. Não, eu não testei =D
O Lighter Fuel....é 'combustível' pra isqueiro? Ou traduzi mal?

Eeenjoy!

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Diga-me O que Ouves e Eu Te Direi Quem És

Achei uma matéria na Super-Interessante desse mês que realmente me interessou (hã? hã?).
Segundo estudos científicos, o gosto musical influi muito na personalidade do indivíduo e o acompanha por toda a sua vida. A matéria ainda dá exemplos de características de variados estilos musicais, explica, cientificamente, como a música age no cérebro e porquê batidas mais rápidas elevam a adrenalina do corpo.

Você É o Que Você Ouve

Para dar uma palhinha do texto, um pequeno resumo:

Heavy Metal: Tipo de personalidade; Curiosos, inteligentes, atléticos, seguros de si.

Jazz/Blues: Tipo de personalidade; Inteligentes, criativos, liberais e tolerantes.

Ópera/Clássica: Liberais, perspicazes, com níveis de educação superiores e maiores rendimentos do que a média, majoritariamente casados.

Rap/Hip-Hop: Tipo de personalidade; Extrovertidos, loquazes, enérgicos, elevada auto-estima.

Pop: Tipo de personalidade; Felizes, generosos, previsíveis e convencionais, são considerados pessoas atraentes.

Rock: Tipo de personalidade; Ativos, aventureiros e com maior tendência do que a média para se declararem ateus.

Enjoy

Nomes de filmes em 'gauchês'

Pra descontrair...

Uma Linda Mulher - Uma Chinoca Buenacha

O Poderoso Chefão - O Bagual Cuiudo

O Exorcista - Vem Capeta, Que te Arreganho a Facão!

Os Sete Samurais - Sete Gaudérios Ca's Vista Estreita

Godzila - A la fresca ! Que Baita Lagarto!

Os Brutos Também Amam - Rebenqueados de Amor

Sansão e Dalila - O Clinudo e a China

Perfume de Mulher - Asa de Chinoca

Tora, Tora, Tora! - Mas Bah! Mas Bah! Mas Bah!

Mamãe Faz Cem anos - A Véia tá Cheirando a Defunto

Guerra Nas Estrelas - Peleia no Firmamento

Um Peixe Chamado Wanda - O Muçum-Prenda

Noviça Rebelde - Madre Alvorotada

O Corcunda de Notre Dame - O Tortinho Estropiado

O Fim Dos Dias - O Bagualão contra o Demo

Um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita - Boi Manso é Que Arromba a
Porteira

Os Filhos do Silêncio - Boca Fechada não Entra Mosca

A Pantera Cor-de-rosa - Gato-do-Mato Fresco

Corra Que A Polícia Vem Aí - Vamo saí fedendo que vem vindo os Milico

E O Vento Levou - Oigalê! O Minuano Levô!

O Náufrago - Mais Perdido que Cusco em Tiroteio ou No Mato sem Cachorro

7 Anos No Tibet - Sete anos no Tio Beto

O Homem Bicentenário - Guasca de Ferro

Nove Meses - Tá Prenha!

Querida Encolhi As Crianças - China Veia, encolhi as Cria!

Porque eu amo esta terra! =D

Calor (Parte 2)



Isso é calor de verdade: 112 graus celsius em Caxias do Sul em junho.

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Calor

Realmente, devia estar quente...



Via UOL


*Modo sádico : ON

Reveillon 2008 (na estrada)

E lá vou eu continuar a narrativa...

Pois bem, busão começou a se mexer e adentramos as ruas de Caxias City. Trânsito aparentemente normal, sem muitas paradas em semáforos e nem nada.

Bueno...

Eu pensei que chegando ali em Farroupilha ou arredores a galera ia capotar no sono e roncar até Pinhal. Sim, eu estava completamente enganada.
Uma hora Rick vira-se pra mim e diz: "Tenho uma boa e uma má notícia, qual tu quer primeiro?"
A má, eu respondi.
"A má é que eu não sei chegar até a pousada."
Fiquei imaginando qual seria a boa nesse contexto. Teletransporte?
"A boa é que hoje é sábado e temos muuuito tempo."
Animador! E que venha o calor, o mochilão, o travesseiro, o casaco...
O pessoal tava conversando animadamente sobre assuntos que peguei, não raro, pela metade. O balançar do ônibus na estrada dá um soninho...ouvindo Red Hot Chili Peppers e Engenheiros do Hawaii, basicamente, eu tentei dormir como um anjo. Veja bem, eu tentei.
Eu acordava no meio de assuntos mais ou menos assim:
"Tira a mão do saco! Tu comeu um monte e a gente nada..."
"Alguém quer trakinas?? Ô tu, acorda a Vane pra ver se ela quer também..."
Aí eu acordava, comia a bolacha e tentava imaginar um campo florido, fim de tarde, árvores...
Aí vinha...
"Ela dança, ela meeexe, piri pipiri piri pipiri piriguete!"
"Vaaane, tu tem fone de ouvido sobraaaandooo???"
E por aí foi, até a Free Way. Engarrafamento básico de pré-feriado. É o segundo que eu enfrento, mas dessa vez foi mais tranquilo pra mim. Pros outros marinheiros, nem tanto. Ouvi muito as perguntas como "Que horas a gente devia chegar, mesmo?" ou "Já chegamos?.....E agora?.....E agooraa???"
Nesta altura do campeonato, a Júlia teve uma idéia: "Vamos brincar de 'mun-do-a-ni-mal"?
Ok.
O Grupo: "MUN-DO A-NI-MAL!!"
Colocam os dedos representando o número que cada um sorteou.
Conta: 1, 2, 3, 4...pára com essa mão, Ricardo!...5, 6, 7, 8...
Deu I...hmm...Inhoca!!"

Nessas horas, a pobre Iguana deve se contorcer no seu lar na natureza, por nunca lembrarem dela. Eu me lembro por causa do Discovery Kids. Meu sobrinho assiste, aí tem uma propaganda que ensinam as vogais com nome de alguns animais. Tá, eu admito, eu assisto os Backyardigans. Mas só às vezes. É sério!

Cansaram.
Resolveram variar os mundos. Sobrou até pra tabela periódica.
Depois disso cada um se recolheu pro seu MP3, Ipod e afins. Uns dividiam, outros voltavam com a pergunta "Alguééém tem fone sobraaan-do?"
Encurtando histórias parecidas, o caos mesmo foi em Cidreira. Pinhal é ali do lado, mas o tempo que ficamos na...eu nem sei se chamo aquilo de rodoviária. Era um...vejamos um termo...estacionamento improvisado de ônibus. Todos mal estacionados, meio amontoados e nós ali, do lado de um semi-projeto nanico de lanchonete.
Eu estava sentada na poltrona da janela, o que me permitiu observar uns fatos curiosos, como por exemplo, uma briga de cachorros por um osso. Antes que eu receba vaias, eu digo que o curioso mesmo era a cadela (não pensem merda). Ela era mirrada, mas tinha umas tetas que se arrastavam pelo chão. Isso me lembrou mulheres que colocam silicone além da simetria normal de seu corpo. Me lembrou a ação natural do tempo nas mulheres...viajei.
Acordo do meu devaneio com o Felipe dizendo "Quebraaamos o recorde de tempo em viagem: deu exatamente 7 horas!"
E a gente ali, parado...e eu rezando pra ninguém soltar um pum porque o ar-condicionado distribuiria o cheiro uniformemente pra todos.
O busão começou a se mexer de novo! Ê!
Chegamos na prefeitura de Pinhal. Uma casa modesta, não poderia esperar mais nada de uma praia que era praticamente deserta há uns anos atrás. Ok, 15 anos atrás.
Nos acomodamos por ali com as bolsas no chão, quando o Mateus menciona algo como "Meu travesseiro está ali dentro.". Olho ao meu redor...PUTA QUE PARIU, MEU TRAVESSEIRO FICOU NO ÔNIBUS!!
Lá fui eu correndo na frente do ônibus, tava quase partindo. Entrei, peguei o travesseiro e saí numa tonalidade vermelho-roxo de vergonha. Rateada de viajante de feriadão.
Chegou a mãe do Rick. Andamos 3 quadras e chegamos na pousada. Longe né?

O primeiro dia na praia fica pro próximo. Os primeiros minutos foram humilhantes.

Umas letrinhas pra vocês

Quebrando o padrão dos últimos cinco ou seis posts de pura imbecilidade, aqui vai uma sugestão de leitura para vocês: O Dragão da Garagem. É um blog Cético cujo objetivo é baixar o sarrafo em pseudociências e crenças irracionais. Pode parecer que é um blog intragável, mas é muito bem humorado e suas críticas são sempre baseadas em pesquisas.

Antropologia for Dummies


A princesa no canto direito é a cara do Rainmaker. Que, a propósito, poderia tomar vergonha na cara e escrever alguma coisa por aqui.

Inspiração Divina


Post levemente irônico por que, heh, eu não bebo.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Decisões importantes

Venho por meio desta dizer que resolvi me converter e virar Hare Krishna, por que minha sorte do Orkut disse que meu destino mudou completamente.

Imbecilidade militar

Alemã é expulsa do Exército por silicone nos seios

"Harald Kammerbauer, porta-voz do Exército afirmou: "a regra, que foi criada em função do aumento do risco de uma lesão, está sendo revista"."


Claro! Agora ela vai começar a esfregar o peito em minas enterradas no solo ou em granadas porque, teoricamente, ela não iria perceber.

Santa Ignorância! Rogai pelos idiotas, pois estes não sabem o que dizem.

Como identificar uma casa onde só moram homens solteiros?



Resposta: quando há uma plantação de cogumelos no carpete.

Canibalismo...em tese

Homem mata, corta e cozinha a namorada nos EUA

Imagina se esse moço monta um restaurante, tipo o Mac Donalds.
Como seria a legenda daquele papel que encobre o hamburguer, ou, da caixinha? Carne 100% saudável? Carne 100% de anta?*

O amor é cego...e retardado!


Via Terra.



*Post com teores de sadismo.

domingo, 6 de janeiro de 2008

Da série "A realidade supera a ficção" (Parte 21)


Por favor, algum leitor inteligente dê uma explicação melhor para esta figura do que "bodes voam".

Dúvida Existencial

O que colocar antes no liquidificador: o leite ou o ovomaltino? Ó dúvida cruel!

sábado, 5 de janeiro de 2008

Sinistro

Dimonho ditrás da nuvem

Poco sinistro isso aí, véio?

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Criminologia

Em um artigo mais ou menos recente, Maddox, dono e criador do Melhor Website do Universo, apontou que todo pedófilo tem um sorriso bizarro na cara, que entrega seu gosto por carnes mais novas. Vejam com seus próprios olhos:





No filme Caravan of Courage: An Ewok Adventure, temos a seguinte cena:


Clique na imagem para ver todos os sórdidos detalhes

Seria este o primeiro caso documentado de Zoopedofilia?

Tecnologia Bélica (Parte 3)

A tecnologia de guerra dos Estados Unidos sempre me impressiona.



Especialmente a camuflagem.

Barata Fliti


Alguém aí já leu alguma tirinha do Níquel Náusea? Se nunca leram ou não conhecem, cliquem aqui!

Reformas

Tive vontade de fazer um comentário à parte do assunto deste post: como época de férias é produtiva aqui no R&A. 6 posts num dia só!!! O que 24 horas livres não fazem neh...xD

Tá, vamos ao que interessa...

Fazer reformas em casa. Morando dentro dela durante as reformas. Creio que muitos já passaram por isso.
Vocês precisam ver como é trabalhoso arrancar um piso de decorflex do chão (previamente grudado com durepox...ah não sabe o que é durepox? Clica aqui!...deve ajudar =D) com uma espátula e um martelo. Não participei desse trabalho árduo, só minha irmã e meu pai se divertiram fazendo isso. À mim e à minha mãe restou o trabalho de carregar coisas pra tudo que é lugar da casa, liberando o espaço pra colocação de lajotas.
Cheguei a tirar fotos. A casa virou de pernas pro ar. A mesa da cozinha está na sala, cheia de copos, panelas, travessas, toalhas, taças e afins em cima dela. A pia também migrou, tá lá enchendo o saco de todo mundo porque ela decidiu ficar bem no meio do caminho. Em cima das prateleiras da estante da sala tem mais toalhas, copos, pratos e talheres. O pinheirinho de Natal tinha ido pra lá também, mas recebi a missão de desmontá-lo.

Abrindo uma pequena brecha nesse assunto, vou lançar aqui uma observação: que baita porcaria é desmachar um pinheirinho de natal!!! Retirar as luzinhas, depois os festões, depois as bolinhas de natal (elas se multiplicam, dão cria, só pode...nunca parecem tantas quando se vai montar), depois arranca os galhinhos, separa por tamanho e guarda. Desmonta o 'caule' do pinheirinho. Guarda. Separa as bolinhas por tamanho. Minha mãe dá uma enchida básica no saco, dizendo que eu não separei por cor também. Ok, separado. Ela grita da cozinha pra colocar papel manteiga entre elas pra não riscar. Ok, feito. Guarda as luzinhas, devidamente desembaraçadas e organizadas. Guarda os festões. Joga tudo em cima do guarda-roupa. Aparentemente, missão cumprida. Aí ela diz que no ano que vem, tem de passar um pano em tudo. Espero estar bem longe quando ela tiver essa idéia brilhante de novo.

À essas alturas meu estômago está grudado nas costas de tanta fome, porque afinal, eu só tive tempo de almoçar, nada mais. Isso aconteceu lá pelas 20h.
Bem, o material que será utilizado na área de serviço pra assentar as lajotas está todo na área do apartamento. Minha mãe resolve guardar tudo dentro de casa. Aquelas caixas devem ter também algum tipo de sacanagem, pois pesam mais que meu sobrinho de 6 anos semi-raquítico. Tá, ele é magrinho, mas aqueles ossinhos pesam uns 30 quilos. Então carreguei 8 caixas mais pesadas que meu sobrinho pra dentro de casa, largando no chão. Nem pergunte como está as minhas costas.
Deitei no espaço que sobrou livre do sofá. Adormeci como um anjo, mas me retiraram como um demônio de lá, me mandando dormir na minha cama. Tomei um copo de Neston e fui pro berço.

Hoje tem mais...

._______.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Recordar é viver - O charme do anacronismo

Post completamente anacrônico, que ia deletar do arquivo de rascunhos, mas que por sorte li antes. Divertido. Provavelmente foi escrito em um dia especial de mau humor (originalmente foi escrito no dia 26 de agosto de 2006. Tinha recém chegado dos EUA, começado o cursinho e provavelmente não agüentava ter aulas de manhã cedo). Enfim, vale a pena ler de novo como eu me sentia naquela época. Só fiz uma ou duas alterações para deixar o texto mais claro, mas o resto deixei igual. Dá para classificar este post como um "Vida Dura" precoce. Aproveitem.

Texto que não é texto

Não atualizei o blog hoje, e faz tempo que não escrevo alguma coisa decente. Acho que preciso escrever alguma coisa para encher lingüiça e dar a impressão de que estamos sempre nos dedicando de corpo e alma ao "Roqueiro & Alcoólatra". E assim, escrevo mais um texto para não escrever nada, uma das nossas especialidades. Será um texto sem nenhum argumento, continuidade ou razão para ser escrito, cheio de digressões sobre como pisei em cocô de cachorro vindo para casa ou como sempre machuco o dedinho do meu pé na máquina de lavar roupa daqui de casa. Resumidamente, será pura enrolação. Para começar, este texto é de 4 dias atrás, e foi considerado perdido por mim. Quando vi que ele estava no arquivo de rascunhos, resolvi não escrever nada de novo e reciclar este daqui. E por quê não? Se eu deixar passar mais tempo, ele vai ficar ainda mais desatualizado. É melhor usar antes que estrague.

Eu poderia por uma sorte do Orkut aqui e fazer um comentário (pretensamente) inteligente, mas não gostei do que li hoje na minha página inicial do Orkut.

Sorte de hoje:
O melhor profeta do futuro é o passado

É muito sem graça isso. Mas é verdade: eu deveria saber que em algum ponto da minha carreira de blogger eu iria fazer um post enrolativo, só para poder dizer que o blog está "ATUALIZADO", na esperança de ter alguns comentários novos por aqui. Tanto eu quanto o Huginn somos como cachorros vira-latas, que precisam de carinho, atenção e comida. Só que nós preferimos comentários.

É, tem o Midiway na equipe também, mas esse relaxado não escreve mais merda nenhuma por que está muito ocupado "trabalhando" (acessando sites de putaria e dizendo que é trabalho), e ultimamente o Huginn tem estado ocupado estudando. Tirando as quartas-feiras, quando ele vai jogar sinuca no Centro com o Tito e o Rainmaker. Tito... o homem que de costas parece uma mulher. Isso deve dizer tudo.

Eu agüento...

14

E você?




Achei no Sedentário e Hiperativo

Olá seu idiota

Só escrevi este post para dizer que vocês fedem eu amo vocês. Isso e que eu aprendi a fazer merda meus textos mais divertidos.

Xau Xau

Problemas técnicos

Caros amiguinhos, gostaria de informá-los que não consigo colocar vídeos do YouTube no blog, por algum motivo bizarro e desconhecido. O que caga com meus planos de colocar mais vídeos aqui.

Tentarei solucionar o problema como todo meu coração. Ou postar mais imagens bizarras.

Programas chatos

Na sua opinião, qual é o programa mais pé no saco que você tem instalado no seu computador? Aquele que chega a ser dez vezes mais pé no saco só porque você precisa dele e nem pode pensar em desinstalar? Ainda.

Eu digo que o meu mais pé no saco é o Avast (antivírus) seguido acirradamente do Adobe Reader.
O Avast é lerdo, verifica até quando você vai abrir a tela do Meu Computador e demora um século pra atualizar. E enquanto atualiza, sua máquina fica imprestável de tanta memória RAM que ele ocupa. Mas é incrivelmente bom, pois tem salvo a minha máquina da terrível formatação. E pensar que uma vez eu usava o Norton. Tenho até calafrios, só de lembrar....
O Adobe nem vou comentar...todos sabem o quão pesado e se-atualiza-na-hora-menos-oportuna que ele é...


Dica retirada do blog Technology | Guardian Unlimited

Reveillon 2008 (saindo de Caxias)

Porque esse Reveillon merece uma narrativa completa. Visão da Lady Hell, anciã do grupo. 21 anos. =D

Por um triz que eu não fui na praia com a galera. Do blog, fomos eu e o Huginn.
Explicando de antes, eu quase não fui porque no Natal, depois de muito expulsar alimentos involuntariamente do meu estômago e viver como rainha, fui ao médico e fui comunicada que tinha uma virose intestinal. Mas melhorei à tempo! Devo ter emagrecido uns 3Kg nesse processo de não absorver alimentos e de perder mais água que poça em dia seco.

Mas tá, vamos contar....

Acordei 6:00. Eu tinha dormido na casa do meu namorado. Dormir é um termo que se usa por excelência pra descrever o período que eu passei das 23h às 7h da manhã por lá. Na real eu tentei dormir, eu juro. Acontece que o Sr. Lord Hell (ãh-ãh) é um cara espaçoso pra caramba! De repente eu acordava, ora gelada, ora estatelada na parede. Sorte minha que não dormi do outro lado da cama, porque imaginei que ia cair de 20 em 20min. E sem lençol.
Nesse pique, levantei, fiz minhas necessidades e me vesti. Homens se vestem à jato. Quando eu disse que estava pronta, recebi quase uma salva de palmas. Quando disse que queria comer alguma coisa antes de sair quase levei essas palmas nas costas.
Corri pra pegar um táxi. Cheguei na rodoviária.
Recebi mais vivas. "Aleeee, a Vane chegoooouu!!!" E olha que cheguei no horário! Talvez a comemoração fosse por isso. Bom, deixei de lado e lá fui eu, mochila, casaco, travesseiro e garrafinha d'água em direção ao setor do nosso busão. Foi quase uma odisséia pra passar entre as pessoas com malas, crianças, travesseiros, carrinhos (não sei porque diabos alguém usa carrinho numa rodoviária tão minúscula quanto a de Caxias do Sul) e gritos como "Giseeele, é pra cá o ônibus! Corre guria, ou te deixo aí!!!"...aí vai a Gisele: "Máááááááááánhêêêêêê.....buáááááááááá...." (pense num choro bem irritante)
Então me dei conta que Murphy nos perseguiria dali em diante. Nosso busão era o último...
A galera que queria deixar sua mala no compartimento do ônibus se amontoou por ali. Eu resolvi que ia levar meu mochilão comigo, já que meus remédios de enjôo e afins estavam ali e era tarde pra passar pra minha bolsa de mão. Tava tudo socado lá dentro, não tinha como procurar uma necessaire minúscula em 5 milésimos 3 segundos! =D
Subi. Huginn estava ocupando meu lugar. Expulsei-o Pedi para que ele fosse para seu lugar. Quando tentei sentar, a mochila, num ímpeto, foi antes e eu caí quase que deitada nos dois assentos com as pernas pro ar. Lindo. Sorte que ninguém viu. Pelo menos eu acho que não.
Todos se ajeitaram. Uns mais agitados que outros, naturalmente, mas o fato é que a cara de sono de cada um refletia o esforço que fizemos pra ir pra praia esse ano. Bom, o busão começou a se mexer, deu ré e iniciou a nossa jornada rumo à Pinhal Beach.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Regras



Que se fodam elas.

Clássicos Revisitados














Kibado (e levemente alterado) do Kibando e Andando.

terça-feira, 1 de janeiro de 2008

Notas sobre meu processo criativo e padrões de atualização de blogs

Me sinto mal quando não atualizo o blog. OK. Isso é mentira. Geralmente, quando não faço atualizações é por que tenho coisas mais importantes por fazer. Como estudar, por exemplo. Ou me preparar para estudar (que vem a ser procrastinar). Ou por que não tenho nada de bom para dizer. Mas agora que estou de férias, isto se tornou um problema, pois eu quero atualizar mas não tenho sobre o que escrever. Gosto de produzir conteúdo inédito, apesar de já ter kibado o Jacaré Banguela e o Kibe Loco algumas vezes (kibar o Kibe Loco. Isso deve ser uma falha no continuum espaço-tempo). Mas não dá pra escrever qualquer coisa. Geralmente meus melhores textos são escritos depois de insights (os famosos estalos), que tornam o processo todo muito mais espontâneo. Porém, textos sem inspiração súbita também podem ficar muito bons, só que o caminho que leva as idéias da minha cabeça para o plano concreto é um pouco mais pedregoso. Certa vez, um poeta, escritor ou filósofo (ou todos os três ao mesmo tempo) disse que arte é 10% inspiração e 90% transpiração. Devo dizer que concordo com ele apenas em parte, pois esses 10% fazem uma baita diferença na hora de por no papel (ou no blog).

Há vários tipos diferentes de posts em blogs. No momento, consigo pensar em 3 superclasses e 3 níveis de criatividade. As três superclasses são animações, imagens e textos escritos. Na superclasse das animações, incluo vídeos do YouTube e sites similares, animações em Flash (jogos também) e GIFs animados. Na superclasse de imagens estão inclusas fotos, photoshops e qualquer tipo de imagem sem animação. E por fim, a terceira superclasse inclui todo e qualquer tipo de texto, como artigos, poemas e testes (psicométricos sérios ou "caprichosos").

Os três níveis de criatividade são:

Nível 1 - Nada criativo, simplesmente copia o que quer que seja (animação, imagem ou texto), e cola no seu blog/site, e o maior esforço realizado no nível 1 é apertar "Ctrl+C, Ctrl+V", e aguentar a possível encheção de saco dos pentelhos que notaram o plágio. Se der créditos para o autor original ganha um desconto. Entretanto, geralmente são bloggers de nível 1 que encontram as imagens, notícias e vídeos mais bizarros e divertidos na internet, mas não necessariamente de outros blogs, fazendo-os excelentes garimpeiros. Um blog nível 1 exemplar é o próprio Kibe Loco. Ou ninguém notou a semelhança entre o verbo Kibar e o nome do site? Para maiores informações das kibadas do Kibe, acessem o blog Kibando e Andando (que provavelmente será kibado logo, logo por mim). Outro grande exemplo de nível 1 garimpeiro é o Pérolas do Orkut.

Nível 2 - Não é exatamente um plágio ou uma cópia descaradamente honesta, mas não chega a ser criativo. A criatividade nível 2 consiste em fazer comentários sobre o trabalho dos outros, ou alterações significativas nestes. Por exemplo, remixar um vídeo (Funk do Jeremias), ou o comentário do Mr. Manson, do Cocadaboa, feito em cima da carta de indignação do Luciano Huck que saiu na Folha de São Paulo depois que roubaram o Rolex dele, ou photoshops do Tourist Guy (aqui, aqui e aqui), que usam o tal do turista e fotos que existiam previamente.


Nível 3 - Pelo menos 75% do trabalho é criado do nada (from scratch). Textos inteiramente novos, vídeos criados do nada e imagens feitas do zero (fotografadas, desenhadas e talvez photoshoped). Deixei 25% de margem nesta análise por causa das possíveis citações que podem ser usadas para enriquecer um texto original (dados os devidos créditos), e possíveis piadas clássicas que podem aparecer em um vídeo ou imagem (nas imagens, geralmente as referências são implícitas,como o Coelho Assassino do The Monty Python Flying Circus). Este blog está cheio de trabalhos originais, começando pelos últimos quatro posts. Uma imagem original é o Tourist Guy primevo, pois provavelmente foi um amigo da figura quem tirou a foto e avacalhou depois.

É realmente simples e rápido kibar um outro site ou blog, mas não é uma atitude louvável. No outro lado, criar conteúdo inédito é admirável, mas consome muito tempo absurdo. Talvez a melhor maneira de fazer atualizações seja alternar entre posts de nível 1, 2 e 3, para evitar que o blog se torne apenas uma colcha de retalhos ou o tempo de espera entre um post e outro seja muito grande. Outro aspecto a ser considerado nas atualizações é o equílibrio entre animações, imagens e textos. Deve-se ter bom senso para não encher o blog de vídeos do YouTube e imagens, atrapalhando os leitores na hora de carregar a página, nem transformar o blog em um texto contínuo.


Conclusão: Preciso por mais animações e imagens e escrever menos aqui.